RSS

As boas novas!

céu

O Evangelho significa “boas notícias”. É uma boa notícia sobre o que Deus fez por nós. Para entender a boa notícia, você precisa entender a má primeiro. A má notícia é que todos são rebeldes contra um Deus santo. Deus criou cada homem e mulher à sua imagem, para conhecê-lO, amá-lO, desfrutá-lO e adorá-lO, e encontrar todo sentido e satisfação na vida somente nEle. Mas nós nos rebelamos contra Deus. Nós decidimos que queríamos encontrar significado, satisfação e prazer em outras coisas. Nós quisemos adorar a nós mesmos. Então, eu decido o que é certo ou errado, eu não quero deixar Deus decidir ou declarar isto. Então, nós somos rebeldes contra Deus. Não somos seus amigos, não somos mais seus filhos, mas nos tornamos rebeldes contra um Rei poderoso e santo. Então, essa é a má notícia: Cada um de nós merece a Ira de Deus, Seu castigo, Seu julgamento contra nós, devido as coisas que fizemos. Mas a boa notícia é que Deus, em seu amor, enviou seu filho Jesus, para nos salvar dos pecados que cometemos. Jesus viveu uma vida perfeita em obediência. Então, Ele nunca se rebelou contra Deus. Assim, na cruz Ele não pagou o preço por seus pecados, porque não pecou; mas Ele pagou o preço por nossos pecados. Ele apaziguou a Ira de Deus, Ele carregou tudo por nós, a punição, o inferno que nós merecíamos por nossos pecados. Jesus tomou sobre si isso na cruz. Mas Ele não permaneceu morto, ressuscitou. Em vitória, em triunfo sobre o pecado e a morte. E agora Jesus está vivo. Ele está nos céus, e nos chama a abandonar nossos pecados e confiar somente nEle. E Jesus diz que se colocarmos nossa confiança nEle, nós seremos perdoados, restaurados e teremos um relacionamento com Deus e uma vida eterna com Ele.

Mike McKinley

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 28, 2013 11:02 pm em Mensagens

 

A Vida Eterna e as Amputações Humanas

No dia 14 de maio de 2013, os principais veículos de comunicação do Brasil e do mundo trouxeram à pauta a discussão sobre a decisão atriz americana Angelina Jolie em realizar uma dupla mastectomia preventiva, ao realizar teste genético que revelou 87% de chance de Angelina contrair um câncer de mama.
O tema atraiu a atenção das pessoas pela elevação das estatísticas que atestam o alcance da doença a mulheres cada vez mais jovens. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência desse tipo de câncer entre mulheres com menos de 35 anos cresce rápida e progressivamente, e revela outros dados assustadores acerca do número de mortes como resultado dessa doença.

Ao tomar conhecimento do teste que poderia lhe garantir longevidade, livrando-a do “fantasma do câncer de mama”, Angelina, corajosamente (como afirmaram as reportagens), aceitou a amputação.

A preocupação de viver mais, e com qualidade, é um assunto que move o interesse dos seres humanos: praticar exercícios, alimentar-se bem, ter qualidade no sono, manter a auto-estima e a harmonia nos relacionamentos, são algumas das “dicas” que constantemente ouvimos falar para termos vida longa.

Contudo, o ato de mutilar o corpo como forma de previnir a morte, nem sempre é a opção mais comumente aceita.

No Sermão da Monte, Jesus discutiu o tema da vida eterna, falando sobre a necessidade de realizarmos alguns tipos de amputações para nos preservarmos da morte:
“Se a tua mão ou o teu pé te faz tropeçar, corta-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno.
Se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida com um só dos teus olhos do que, tendo dois, seres lançado no inferno de fogo”. Mateus 18.8,9.

Jesus, nessa passagem, refere-se à necessidade de tomarmos algumas ações radicais para a preservação da nossa alma. Ele não se refere à castração do corpo, mas à necessidade de rompermos com qualquer coisa que, eventualmente, venha a nos afastar de Deus.
Entrar na vida ou ser lançado no fogo eterno transcende à expectativa de vida aqui na terra, ansiosamente buscada pelas pessoas. Jesus está falando sobre viver eternamente com Deus, ou separar-se d’Ele para sempre.
Disso dependem todas as ações que realizamos por meio do nosso corpo, e que muitos de nós não estamos dando o devido valor.
– Em que tipo de negócios temos colocado as nossas mãos?
– O que tem atraído a nossa atenção, a maior parte do tempo?
– Para que lugares nossos pés têm nos levado na estrada da vida?

Se nossas mãos, pés, olhos ou qualquer outro elemento do nosso ser, têm se inclinado numa direção que nos afasta de Deus, Jesus recomenda que tomemos uma atitude radical, abandonando tais práticas.
Todos os dias temos sentido os resultados de decisões mal tomadas que só nos levam à tristeza, à angústia e à desilusão.
Muitas vezes percebemos que precisamos mudar de direção, dando um novo rumo à nossa vida, mas não sabemos o que fazer, nem por onde começar…
Que tal começarmos rompendo com as más escolhas? Sim, porque em questões que atraem o nosso coração, é nossa decisão seguirmos em frente ou pararmos, evitarmos, fugirmos, se for preciso.
Em Provérbios 22.3, a Bíblia afirma:
“O prudente vê o mal e passa longe, mas o insensato, passa adiante e sofre a pena.”
Onde está a sensatez das nossas ações? Temos sido prudentes ou impulsivos?
A vida é fruto de pequenas e grandes escolhas. A opção por uma vida abençoada e tranquila, requer de nós esforço para evitarmos os maus caminhos.
Somente em Cristo encontramos a força necessária para amputarmos a mentira, a inveja, os negócios excusos, as traições, as murmurações e tudo o mais que nos afaste de Deus. 
“Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos, atentos às suas orações.” I Pedro 3.12.
Que Deus nos ajude a fazermos as escolhas certas, inclusive de caminhar com Ele, amando-O, reverenciando-O e O adorando.

 

Priscila David.

 
Deixe um comentário

Publicado por em junho 13, 2013 9:34 am em Mensagens

 

O que é Salvação?

Você sabe do que você precisa para ser salvo? Ou melhor, você sabe o que é a salvação que nos é dada através de Jesus? Muitas vezes fui pego nesse pensamento, que parece ser apenas mais um velho jargão de igreja. Mas, realmente, o que é salvação?

A palavra salvação, como foi escrita no grego, significa completar. De fato, éramos completos quando fomos criados. Quando o pecado entrou no homem através de Adão, nós morremos (você sabia que Deus nos criou para vivermos eternamente com Ele? Isso mesmo!).  Assim, muitas coisas foram retiradas de nós. Logo de cara perdemos a comunhão com o nosso Pai.

A Bíblia fala em Romanos 6:23 que o salário do pecado é a morte.  O pecado gera a morte. E nesse caso, a morte pode não ser apenas deixar de viver fisicamente, mas também, espiritualmente. A morte espiritual nos faz perder a sensibilidade para com Deus.  Passamos a não nos importar com tudo o que Ele fez por nós e, assim, outras coisas morrem também, como nossos relacionamentos, sonhos, finanças, casamento, saúde, e etc. Passamos, então, a apenas existir, e não viver.

“O povo que caminhava em trevas viu uma grande luz; sobre os que viviam na terra da sombra da morte raiou uma luz.Isaías 9:2 . Essa luz é Jesus!  Jesus veio para nos trazer salvação. Salvação de quê? Salvação, primeiramente, do que está por vir, que a Bíblia retrata como um lugar de eterno sofrimento, onde só haverá choro e ranger de dentes. Jesus nos traz à reconciliação com o Pai, nos leva novamente ao lugar para onde fomos criados (lugar esse, perto de Deus), e também nos traz o completar, o sentido que grita dentro de nós. Além disso tudo, Ele também nos salva do desprezo, da rejeição, das nossas enfermidades e dores, como está escrito em Isaías 53:3-5.

Há uma frase que sempre ecoa em minha mente, que diz “Há um vazio dentro do homem do tamanho de Deus”.  Isso é a salvação que Jesus nos trás, que preenche em nós o que nada nem ninguém mais pode preencher. Glória a Deus!

 

Wellington Filho

 
Deixe um comentário

Publicado por em maio 15, 2013 10:27 pm em Mensagens

 

A obra prima de Deus

Definição de obra prima:
1- A melhor e/ou a mais bem feita obra duma época, gênero, estilo ou autor;
2- Obra perfeita.
A Mona Lisa é uma obra-prima de Leonardo da Vinci.
Costumamos chamar de obra prima, aquela obra mais conhecida, mais valorizada ou mais bem feita obra de alguém que a fez. No caso, temos mais comumente a obra prima sendo ligada a pintores, como no caso de Leonardo da Vinci, Hamlet de Shakespeare ou a nona sinfonia de Beethoven. DNA que deu a Watson e Crick o Nobel de Medicina em 1962. Faraday, Tesla…
Assim, esses artistas também tiveram outras obras, de tal forma que eram belas, mas nenhuma tão conhecida ou valorizada tanto quanto as faladas.
Bom… Sabemos que Deus também é um artista, um biólogo, um físico, um engenheiro… Mas não só um, o melhor. 
Diante do senso artístico temos a beleza da natureza, as árvores, o céu do pôr-do-sol, as paisagens de montanhas ao fundo, ou grande pastos. Na música, temos a própria música, o som dos pássaros, o som das águas, o trepidar do fogo de uma fogueira. Na física, as leis que a compõem! As próprias ondas sonoras, a força gravitacional que permite a órbita dos planetas, satélites, as cores… Entre mais a fotossíntese, a formação de diamantes que é composto pelo mesmo material que eu quebro todos os dias ao escrever. 
Bom, é insensato pensar que tais coisas vieram do acaso. O acaso sequer existe! O que existe é uma gama infinita de influências tratadas por n fatores que, por não conhecermos, chamamos de ACASO. Como jogar uma moeda para cima. Ela sempre dará CARA se sempre usarmos a mesma força, o vento sempre soprar na mesma direção, ela sempre der o mesmo número de voltas e coisas do tipo. O acaso não é sequer lógico. Em Romanos 1:19 e 20, podemos ter a constatação disso. Deus se mostra através da imensa sabedoria que existe por trás da natureza, do DNA, da vida. Nenhum “acaso” poderia dar efeito a tudo isso.
Fora todas as outras obras que Deus fez e conta-nos através da bíblia! O mar que se abriu!(Êxodo 14: 21 e 22), As pragas que vieram (Êxodo, capítulos 7,8,9,10,11 e 12). A nuvem que seguia os israelitas de manhã, a coluna que os esquentava a noite e as águas que se tornaram doces (Êxodo 15). A cura de leprosos, vida para os que dormem, mudança de vida e caráter.
E mesmo diante de todas as maravilhas que conhecemos e que eu não citei, também, temos uma que se sobressai. A essa dizemos: A OBRA PRIMA DE DEUS. Pois que obra prima se reconhece antes que o autor morra? Então, para se cumprir a ruína que seria sobre nós, Deus tomou nosso lugar, morrendo por nós, tomando nosso lugar no julgamento e colocou sobre aqueles que o buscam, uma nova vida e uma nova esperança. Em João 3:16 temos a confirmação.
De certo, a obra prima de Deus só se concretizou após sua morte e ressurreição. O incrível é que todas as outras obras de Deus apontavam para essa sua obra prima. O mar que se abriu era mostrando o caminho; aquela cobra de metal que curava as picadas de cobras peçonhentas, demonstrando a cura; a arca de Noé, que salvou quem acreditou na Palavra de Deus da destruição por causa do pecado; a nuvem e a coluna de fogo que protegiam e guiavam o povo de Israel durante sua peregrinação… Fora as profecias ditas por tantos e enfatizadas em Isaías. Ora, se Deus esteve, desde a criação do mundo, apontando para o nascimento de Jesus, sua morte, ressurreição e nossa salvação, porque teimamos em esquecer o valor de tal grandiosa e gloriosa obra tem? Mesmo após mais de 2000 anos, aquela promessa continua para nós, e agora na promessa de que Ele um dia voltará e nos buscará. Em Romanos 8: 30, vemos que Deus continua a chamar seus filhos. Vamos sair do buraco da angústia e da dúvida e vivamos a verdade em plenitude. Amém.

 

Lucas Dantas

 
Deixe um comentário

Publicado por em maio 6, 2013 9:12 pm em Mensagens

 

Cristo: fonte de esperança

A nossa reação quando submetidos às difíceis situações da nossa vida irá depender de como está nosso relacionamento com Deus.

Quando conhecemos a Jesus Cristo, a nossa natureza humana vazia, fraca e insana confronta-se com a natureza de Jesus: forte, completa, poderosa e santa. Esta natureza só está presente em nosso coração graças à morte redentora de Cristo na cruz do Calvário, e torna-se um diferencial diante das ocorrências inoportunas da vida.

As situações críticas pelas quais passamos ao decorrer de nossa existência nada têm a ver com o fato de conhecermos a Cristo ou não. Mesmo conhecendo-o, somos suscetíveis a passar por situações adversas que nos roubam a paz. As origens dessas situações são diversas, desde consequências de más escolhas até enfermidades do corpo. Mas o que importa não são suas causas ou origens, mas sim, a nossa reação frente a essas situações.

Existe algo que nos é revelado diante de situações perturbadoras, algo que é trabalhado pela graça de Cristo em nós. Aqueles que não conhecem a Cristo não compreendem o mistério da ação Dele. Consideram tais infelizes circunstâncias como catalisadoras de abismo. É como se a natureza humana reconhecesse a sua fragilidade e incapacidade frente a momentos delicados da vida. Logo, há uma entrega da natureza humana à circunstância não favorável. Naturalmente, esta entrega reflete atitudes e escolhas com consequências devastadoras.

Quais atitudes que devemos esperar de jovens que não conhecem a Cristo frente às situações adversas? No cenário onde não há estabilidade, como o de uma família desestruturada, onde um pai é mau exemplo e a mãe é uma sofredora atribulada, onde este jovem vai buscar abrigo e consolo? Qual escolha este jovem irá fazer? É certo que ele procurará os conselhos nas amizades, a companhia nas drogas, o esconderijo no sexo… Estas escolhas são mais fáceis na débil ótica humana. Mas são efêmeras e não resolvem a verdadeira causa do problema. Pelo contrário, constroem outros.

Já para aqueles que conhecem a Cristo, que sabem que Cristo habita neles e que participam de um relacionamento com Ele, estes sabem que as situações desagradáveis desta vida tornam-se oportunidades para extrairmos o melhor deste relacionamento. Veja, Romanos 5. 3-4:

“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança.”

O fruto da construção de um relacionamento com Cristo é observado quando nos deparamos com a dinâmica da nossa vida, na corrida diária contra o tempo, na pressão do trabalho, experimentação de nossos vários sentimentos, e mesmo diante de tudo isso, nós simplesmente prosseguimos. Às vezes nos questionando, às vezes não entendendo, mas nós continuamos. Não tomando atitudes drásticas, desagradáveis, mas confiando Nele.

A graça maior do relacionamento com Cristo é ficarmos em pé, a postos, lutando, caminhando. Talvez, a beleza desse relacionamento esteja na esperança que Cristo deposite em nosso coração ao confiarmos Nele diante da dificuldade, e, ao mesmo tempo, renovar nosso anseio de encontrá-lo face a face. Se eu e você ainda não caímos e não desistimos da nossa caminhada, é um reflexo de que cultivamos um relacionamento com Deus, de que vivemos sua esperança e de que desejamos encontrá-lo. 

 

Abraão Ramos.

 
Deixe um comentário

Publicado por em abril 30, 2013 3:00 pm em Mensagens

 

O Cristianismo como instrumento de defesa dos direitos fundamentais da sociedade

O 4º artigo de nossa constituição garante que um dos princípios que regem as relações internacionais da República Federativa do Brasil é a prevalência dos Direitos Humanos.

Sendo assim, para instituir o nosso Estado Democrático, que assegura o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, temos, sob a proteção de Deus a CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, que segue os princípios dos direitos humanos e que tem em seu 5º artigo a exposição da igualdade de todos os cidadãos perante a lei, sendo garantida a inviolabilidade do direito a vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, tendo-se como base, alguns termos que dentre eles, destaco:

II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;

III – ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;

IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;

Além disso, temos no 6º artigo:

São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 64, de 2010).

Mesmo com todos os princípios apresentados em nossa constituição, nossa sociedade enfrenta alguns problemas, pois temos muitos indivíduos que são assaltantes, assassinos, corruptos, abusadores, enfim, encontramos em nossa sociedade uma diversidade de indivíduos que em suas ações prejudicam a existência de uma real harmonia social, pois algum direito de algum outro cidadão, pode ser violado.

É obvio que nossos problemas, como sociedade, ultrapassam as questões individuais e é mais óbvio ainda que nossos problemas espalham-se em toda a estrutura social, pois desde o povo até a representatividade política, podemos encontrar pontos que ferem os princípios apresentados como determinantes de nossa identidade como nação.

No entanto, ressalto que nossa constituição é promulgada sob a proteção de Deus, fato esse registrado; (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm), sendo assim entendemos que Deus é importante para os princípios que regem nossa sociedade, Deus está na base de nossa constituição.

Com isso, ressalto o seguinte texto:

“O Deus Altíssimo sabe quando são desrespeitados os direitos humanos, que ele mesmo nos deu.” Lamentações 3:35 (NTLH).

Sendo assim, o cristianismo tem como fundamento social a propagação da defesa de direitos. É certo que o cristianismo tem como interesse a propagação da boa noticia de que Jesus morreu e ressuscitou e quem crer nele e nesse fato, tem a salvação eterna, mas repito, uma das funções dos princípios do cristianismo é a propagação dos direitos individuais para que assim, vidas sejam transformadas e a sociedade encontre-se harmonizada.

A propagação precisa ser realizada com amor, pois o cristianismo pode contribuir para o bem-estar social.

É interessante notar ao ler a Bíblia que Jesus constrangia de forma amorosa as pessoas que por entendimento próprio, reconheciam seus principais erros e tinham como decisão não pratica-los mais. Aconteceu isso com cobradores corruptos de impostos, ladrões condenados, pessoas infiéis em seus casamentos enfim, encontramos ao longo do novo testamento, pessoas que foram transformadas e que abandonaram suas praticas que feriam a harmonia social.

Com isso, ressalto de forma sutil, o cristianismo é revolucionário, mas não é uma revolução social, (1 Pedro 2 – capítulo inteiro).

O cristão aprende a viver de forma a respeitar o direito alheio e de forma a respeitar o Estado, pois não lhe convém determinar os direitos, mas sim, convém aprender os direitos,  sendo assim, o corrupto precisa abandonar a corrupção, o abusador precisa respeitar o mais frágil, o assassino precisa reconhecer o valor da vida e assim, para cada falta social há acusação cristã para garantir o principio, no entanto o cristianismo vai além, pois se somente fosse a garantia de princípios, seria mais uma constituição para reger a sociedade, no entanto o cristianismo apresenta motivos e formas, baseadas em amor, para que o individuo aprenda a viver em harmonia, não recebendo ordens, mas recebendo dons, dons que serão descobertos por cada cristão e exercidos no tempo adequado para o aprendizado e para a caminhada rumo a perfeição da vida (1 Coríntios 13:10), perfeição que alcançaremos na vinda de Cristo, mas que provamos ao sermos santos, nessa vida.

Por fim, o cristão vive no dever de aprender, e vive no dever de respeitar, respeitar as diferenças da sociedade com todas as suas dificuldades e respeitar os cristãos, entendendo que o desrespeito aos direitos precisam ser abandonados, mas atitudes cristãs precisam ser realizadas em acordo com os dons, para que assim exista o auxílio do Espírito e no auxílio do Espírito exista motivações para viver de forma harmoniosa.

 

Gilnário Saraiva

 
Deixe um comentário

Publicado por em abril 24, 2013 10:40 pm em Mensagens

 

Deus se agrada de sacrifícios?

Vamos primeiro entender o contexto:
Leiamos Isaías, cap. 01 – vers. 11(parafraseando): “E pra que servem tantos sacrifícios? Eu, diz o Senhor, já não aguento mais o cheiro que sobe dos animais que vocês sacrificam, nem da gordura ou qualquer outra coisa que me oferecem!”
Por quê?
Por que o Senhor rejeitaria nossos sacrifícios? E quando Ele fala de sacrifícios, isso engloba qualquer coisa que façamos em nome de Deus! Seja louvar (como Está escrito em Hebreus 13 – 15, “Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.”, também o é um sacrifício), seja o fazer o bem a um irmão, a um desconhecido, a ter um bom testemunho ante as pessoas que te conhecem, seja ser honesto e sempre pagar as contas em dia, enfim, qualquer coisa reta e de acordo com a palavra de Deus.
E se está na Palavra dele, por que ele não iria se agradar?
Pois no versículo um pouco antes:
vers. 09 (parafraseando): “Se Deus não tivesse deixado alguns de seus Filhos dentre nós, já estaríamos como Sodoma e Gomorra!
Isaías diz que Israel estava mergulhada em erros! Ora, se nosso coração não está aberto para receber a Cristo e estamos envolvidos nas terríveis armadilhas do pecado, então nossos sacrifícios enojam a Deus.
Mas, somos todos humanos, não? E humanos erram! Então, se erramos, não podemos oferecer um sacrifício?;
“Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã. Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra.” (Isaías 1:16-19)
E esse lavar se dá através de Jesus Cristo, o único sacrifício que agradou a Deus, onde, através do amor, nós fomos remidos.
Então, que se cumpram as palavras de Isaías em nosso viver:
Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra. “,A saber, o bem desta terra seriam as bençãos e a vida ao lado de Deus.

 

Lucas Dantas.

 
Deixe um comentário

Publicado por em abril 20, 2013 11:28 am em Mensagens